Sistema CNA/Senar realiza seminário sobre resiliência climática

Iniciativa contribui para fortalecer as metas estipuladas no Acordo de Paris 14/09/2016 - Senar

Representantes da iniciativa privada, pública, do terceiro setor, organismos não governamentais, agências de cooperação, além de produtores rurais e especialistas, vão debater os processos inerentes às mudanças climáticas no 1º Seminário Internacional sobre Resiliência Climática e Descarbonização da Economia, que será realizado pelo Sistema CNA/Senar nesta quarta-feira (14/09), em Brasília.

O seminário terá palestras de especialistas brasileiros e estrangeiros em três painéis: 1 - Mudanças climáticas globais - Os próximos passos, pós Acordo de Paris;  2 - SENAR: Assistência Técnica e Gerencial; 3 - Serviço Ambiental e Oportunidades. O encontro surge como oportunidade para engajar o setor privado sobre a importância da assistência técnica para garantir o desenvolvimento produtivo, econômico e social do setor agropecuário.

Também é uma iniciativa que contribui para fortalecer as metas estipuladas no Acordo de Paris, primeiro marco do regime internacional do clima, aprovado durante a Conferência do Clima (COP-21) por 195 países, em dezembro de 2015. O marco prevê debates que proporcionem o desenvolvimento tecnológico e ações de mitigação, adaptação e financiamento, necessários à conservação dos recursos naturais e ao crescimento econômico.

"O desafio é produzir com eficiência  e sustentabilidade, com técnicas que reduzam a emissão de carbono e que  sejam adaptáveis às mudanças climáticas. E a  assistência técnica está se tornando uma formidável via de introdução dos diversos programas mundiais de redução dos riscos do aquecimento global e de combate à fome, que se dá com o aumento da produtividade e da renda dos agricultores. É o que estamos fazendo com nossa metodologia de Assistência Técnica e Gerencial", afirma Daniel Carrara, secretário executivo do Ssenar.

Além dos programas ABC Cerrado e Rural Sustentável, em 2016 o Senar também firmou sua primeira parceria com o a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), para desenvolver o projeto de Recuperação de Áreas Degradadas na Amazônia, conhecido como PRADAM. Foram realizados 11 seminários de sensibilização e  dois dias de campo para disseminação de quatro tecnologias ABC: recuperação de pastagens degradadas, Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), Sistema Plantio Direto, Florestas Plantadas e Sistemas Agroflorestais. E o SENAR também capacitou 40 profissionais que vão levar Assistência Técnica e Gerencial aos estados da região amazônica. 

Acesse a programação do evento: http://bit.ly/2cldQt8

 

 

COMPARTILHE